Cantinho da Vergonha #02. Anos 90 e as suas boybands.

Ah, os anos 90! Tempos de bandas maravilhosas como o Nirvana, o Pearl Jam, o Smashing Pumpkins, o Live e… tempos de coisas medonhas como as malditas bandas de Dance Music que cantavam músicas emblemáticas como “Come come come into my life, come come stay with me, nobody loves me, nobody loves me enough… panananan, oh no!” ou mesmo “all that she wants is another baby… tanãnãnã”.

Anos 90, os tempos daqueles 5 garotos bonitos que cantavam bem, atiçavam a libido das garotinhas e garotinhos, além de ter uma música. Afinal, assim, a gente sabe que todos os outros elementos de uma boyband eram mais importantes que a música, mas a gente gosta delas mesmo assim. Seja por apego emocional ou seja porque, de alguma forma, naqueles tempos as pessoas sabiam fazer música pop boa e que conquistasse o galere.

A primeira boyband que lembro de ter visto e gostado foi o Boyzone:

Devo dizer que não era nada perto do que estaria por vir nos anos seguintes com a, muito possivelmente, maior banda de garotos-bonitos-cantores que já pisou nesse planeta. AH, os Backstreet Boys!

No começo e, para mim, nos melhores anos da banda, tudo parecia muito ingênuo: os clipes não eram superproduzidos, os estereótipos extremamente marcados, mas as músicas eram um pop muito bacana e bem pensado.

Aí as coisas começaram a melhorar, os clipes começaram a ganhar produções interessantes e bacanas:

Aí depois veio o Millenium, o disco deles que mais fez sucesso, que tinha “I Want It That Way” e que tinha clipes que ficavam eternamente no 1º lugar do Disk MTV, o que me fez cansar bastante, na verdade.

Aí eu comecei a gostar mais da 2ª boyband mais legal daqueles tempos. O N Sync, o Justin-Cabelo-de-Pipoca, os clipes dramáticos e sem sentido, enfim, uma combinação bizarra que só poderia gerar uma coisa em todos nós: Muito amor!

Não tem jeito, poderiam lançar 800 mil boybands, mas nenhuma era tão legal quanto essas duas e, olha, eu nem sei explicar o porquê. HAHAHAHAHA.

O 5ive até tinha algumas músicas bem bonitinhas:

Mais tarde um pouquinho surgiu o Westlife, que foi a última boyband que eu gostei de verdade.

Depois disso, as boybands começaram a perder força e começou a vir aquele rockinho mela-cueca tipo The Calling, Creed e alguns outros. Eles não eram tão legais quanto aquelas bandas dos já idos anos 90 e imagino que nunca tenham ganhado quartos lotados de pôsteres e tanta libido de tantas garotas e garotos. Ali, os tempos já eram outros, mas muitos daqueles que gostaram de boyband no fim dos 90, certamente, ainda as ouvem, mesmo que escondidos no quarto.

Anúncios

Cantinho da vergonha. (Parte 1)

Todo mundo tem aquelas músicas que gosta, mas que escuta escondidinho pra ninguém zoar da cara.

E eu, é claro, tenho as minhas.E é delas que vou falar por aqui hoje.

Vou começar de leve. Hahahaha.

Enfim, eu gosto de NxZero desde os tempos em que era uma banda que eu achava super legal e descolada, quando eu tinha uns 15 anos.

Aí o negócio começou a ficar tenso pra caramba…  Di Ferrero fazendo parceria com rapper de 5ª categoria que vai no Raul Gil e por aí vai, mas não posso deixar de admitir: gosto bastante das músicas do Nx que são sem firulas bestas que, com certeza, foram colocadas ali pelo Rick Bonadio ¬¬”.

A segunda coisa que gosto, mas que escuto baixinho no meu quarto (sem nem cantarolar junto) é o Ricky Martin.

Sei que na sua cabeça deve ter vindo “livin la vida loca” ou qualquer coisa do tipo, mas tente tirar essa imagem boba da sua cabeça e entenda que, sim, o Ricky Martin canta pra caramba e tem músicas bem bonitas.

Aí agora o negócio ficou tenso, vou assumir que gosto de uma música do Justin Bieber (para o fim da integridade da minha imagem pessoal).

Mas é que “One Time” é tão bonitinha e tem uma melodia tão agradável que tento esquecer que é esse moleque tosco que está cantando e tento me ligar só à música.

E depois disso tudo, fico por aqui hoje. Porque já causei um grande dano para mim depois de tudo isso. Hahahahaha.