Dance of Days.

Quase não falo de bandas nacionais por aqui e acabei por achar conveniente colocar uma das bandas nacionais que mais gosto por aqui.

Dance of Days é uma paixão de anos e anos na minha vida. Conheci quando ganhei um cd de um garoto que tinha ficado quando tinha uns 14 anos. Fiquei sem ouvir por muito tempo, até que ouvisse e me apaixonasse de fato.

No cd que ganhei, a frase que mais me chamava a atenção era “Não somos músicos. Isso é punk rock.” e acho que a essência do Dance está aí. Portanto, se você não conhece, não vá achar que o fanatismo -tão presente em quem ouve a banda- está ligado ao fato de os caras serem virtuoses, porque não, eles não são.

Acho que o ponto forte do Dance são as letras, extremamente poéticas, ricas, com muitas referências literárias, históricas, de filmes e afins. Dance fala da vida, de alegrias, tristezas, pés na bunda, fracassos, ódios. Enfim, fala de tantos sentimentos que fica difícil colocar aqui em um pouquinho de palavras.

Acho que a banda teve diversas fases, foi moda com o emo, deixou de ser moda e sempre vão existir os fãs fiéis. E eu estou aqui.

Porque toda vez que me sinto angustiada, sei que vou ouvir alguma música que vai preencher exatamente o que estou sentindo.

Geralmente, ela é “Suburbia, 1986”. Linda linda. Uma pena não ter achado nenhum vídeo que ela estivesse com bom áudio.

Outra que amo, amo, que me faz sorrir, chorar, passar por diversas emoções é “Um canto para Caronte”:

Acho triste que as pessoas não aceitem mudanças. Porque Dance é uma banda de diversas fases, inclusive ligadas às fases que os próprios integrantes passaram, é só ver o Nenê Altro, o vocalista tão controverso que passou de Straight Edge a porra-louca-que-dá-bafão. Aí você vê os comentários nos vídeos de youtube, indignados com as mudanças e tal. As mudanças são válidas, não acho que elas tenham mudado a essência de nada.

Dance of days continua aquela banda foda, cheia de letras incríveis e de coisas que emocionam. E, então, por que deixar de gostar?

Anúncios

2 pensamentos sobre “Dance of Days.

  1. Pingback: Nostalgia. « Jukebox Esquizofrênica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s